O pior aniversário do mundo

Salve, salve, amigos do blog.

Com esta entrada estilo Pedro Bial, informo que eu estou de volta e com tempo para postar novamente. Então, o recesso da semana passada está oficialmente encerrado! Graças aos meus milhões de fãs que resistiram bravamente em uma semana sem nenhuma novidades e muito tédio, a equipe ListadeLucas esta de volta com novas postagens e muitos assuntos!

Para começar bem a semana, vou contar um causo que aconteceu com dois amigos meus, ainda na época de vida acadêmica. Preservando os nomes dos indivíduos, vou chama-los de Carlos Tesla e Lauro. Ambos, conheci na faculdade. Lá, eles me contaram que logo que começaram a amizade, passaram por este perrengue brabo que relatarei para vocês hoje. Uma situação que, pessoalmente, nunca ouvi ninguém me contar nada parecido.

Conta a história que Carlos Tesla e Lauro estavam lá, se encaminhando para uma sexta-feira muito monótona. Os dois estavam na última cadeira de sexta (aula à noite, acabava 22h30min), matutando o que poderia ser feito depois da vida de ensino, mas nenhuma ideia muito clara surgia para nenhum deles. A certeza de um fim de noite ruim estava quase decidida. Um frio, umidade, inverno de Porto Alegre, nenhum lampejo de criatividade brilhante e nenhuma festa boa ir. Acabaria a aula, acabaria a sexta, cada um indo para sua casa, ver TV e dormir cedo. Que tristeza, coisa de aposentado. Era o que faltava para completar o clima frio e chuvoso do inverno gaúcho: tédio total.

Foi daí que Lauro se lembrou, do fundo de sua memória, que havia sido convidado para uma festa de aniversário de uma amiga distante, aquele tipo de pessoa que não se mantém muito contato no mundo real, mas se conversa de vez em quando em redes sociais. Não era nada lá muito gigantesco, nenhum evento épico, mas já que não tinham nada pra fazer, valia a pena dar uma passadinha lá; era melhor que ver TV. Lauro ligou para a garota e confirmou sua presença, disse que levaria um amigo. Tudo certo, a noite parecia se encaminhar para uma salvação.

Acabou a aula, pegaram um táxi e partiram para o grande evento. Ficava em uma rua famosa em Porto Alegre, no Moinhos de Vento, uma casa comum para se fazer esse tipo de celebração. Eram os 18 anos da garota, agora uma adulta, querendo comemorar em grande estilo. São esses momentos que marcam uma vida e definem uma personalidade, afinal. A passagem da vida infantil para a vida adulta, todo aquele papo simbólico, muita bebedeira e música ruim. Mas todo mundo gosta.

Beleza. Carlos Tesla e Laurou adentraram o recinto. Era uma casa com dois ambientes; o primeiro, aonde fica o caixa, funciona meio que um lounge, para uma pré-festa. O segundo, ao fundo, era aonde ficava a pista de dança, o bar, o DJ e aquela coisa toda, aquele clima de boate. Entraram no lounge e repararam que não havia ninguém. Pensaram com seus botões, “já devem estar na festa…a essa hora já começou; ninguém vai ficar aqui no lounge sem nada pra fazer…vamos nós também“. E foram para o segundo ambiente. Chegando lá, se depararam com uma cena pior ainda, típica de comédia britânica: umas dez ou 20 pessoas, todas integrantes da família da garota e aglomeradas em um canto, cercando a menina. A garota, ao fundo do círculo de gente, sentada em uma cadeira, chorando compulsivamente. Uns dois ou 3 familiares em volta, consolando. Um deles, com um copo de água na mão, tentando acalmar.

Quando a garota viu os dois se aproximando, saiu correndo, toda produzida, maquiada e de vestido longo, abraçou os dois (mesmo só conhecendo um) e desatou a chorar:

Muito obrigada! Muito Obrigada por terem vindo! Eu amo vocês! – ela dizia, em meio a choradeira.

mulher-que-chora-de-picasso

Depois do escândalo, com a moça mais calma e soluçando menos, eles ficaram sabendo que NINGUÉM, mas NINGUÉM mesmo tinha ido na festa. Só parentes…apenas alguns, ainda por cima. A menina se deu ao trabalho de alugar um lugar, se arrumar, fazer toda uma preparação e não teve UMA alma que quis ir. O evento mais fail da Terra, pior até que o MOA Brasil.

Eu sei que, talvez levados pela pena, Carlos Tesla e Lauro passaram a noite lá no salão, dançando com as tias, bebendo moderadamente, conversando com a moça e tentando apaziguar o climão. Que noite medonha. Era melhor ter ficado em casa vendo TV.

É isso! Sigam-me!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s