7 empregos braçais que todos queríamos ter

Seguindo a lógica do post anterior, resolvi fazer um levantamento sobre melhores empregos braçais que, embora subestimados, eu e qualquer ser humano normal gostaríamos de ter. Segue, então, na sequência:

1 – Pedreiro

Quando eu estou no trabalho,
Não vejo a hora de descer dos andaime
Pra pegar um cinema, do Schwarzenegger
“Tombém” o Van Daime

O exemplo perfeito do trabalho braçal. O cara vai lá, sobe parede, carrega uns sacos de cimento e constrói o futuro de milhões de brasileiros que poderão dormir sem se molhar. Pode trabalhar de regata, bermuda furada e Havainas. Come que nem um bicho, nos melhores buffets populares do Brasil varonil, ainda tem possibilidade de encarar uma cerveja gelada no fim do expediente. Dependendo do caso, ainda viaja por aí – como é o caso dos pedreiros nordestinos que vieram suprir o mercado do RS – e goza da plena liberdade de se portar que nem um ogro completo, sem frescuras, sem ressentimentos.

2 – Pintor

Outro trabalho braçal da melhor categoria. Trabalha vestido como quer, não tem pressa pra nada, faz as coisas na manha e ainda pode passar o dia de Havaianas, também.

O trabalho de pintor ainda tem algumas vantagens frente ao de pedreiro, pois na maioria das vezes não precisa ficar torrando no Sol do verão e, em alguns casos, pode montar um horário completamente alternativo, com mais horas de sono. Único problema é aguentar o cheiro da tinta, que dependendo do tipo é foda demais.

3 – Cortador de grama

Aquele igual o do Forrest Gump no filme. Um trabalho genial; o cara passa o dia sentado num carrinho, andando pra lá e pra cá, só cortando grama. Quer coisa mais fantástica que isso?

Ainda tem a vantagem de não responder a nenhum chefe, ninguém, pode fazer o que quiser e, como é ao ar livre, pode jogar uma bola no horário do almoço e descansar sobre a árvore, dando aquela cochilada marota depois do rango. Só é meio ingrato quando o trabalho é feito a pé, com aquelas máquinas de Nylon…mas mesmo assim é muito bom!

4 – Pescador

Este é possivelmente um dos empregos mais relaxantes do mundo. Obviamente não estamos nos referindo aqueles pescadores de grandes navios, que vivem em alto-mar, mas aquele pescador quase artesanal, que pesca meia dúzia de coisas pra viver e pode ser visto aos montes em Santa Catarina. Imagina, o cara vai lá com a rede dele, entra no barquinho, vai em uma distância meia-boca, cata uns peixinhos e vende pros turistas a preço de ouro. Passa o dia na praia, mora na praia, sai do trabalho e ainda vai tomar aquela cervejinha no ponto. É uma versão evoluída da forma de vida do mestre Dorival Caymmi.

5 – Garçom

O emprego braçal para os boêmios. Tem muita gente que vai discordar, mas é um trabalho puramente braçal. Nem por isso deixa de ser fodástico.

Você tá ali, no boteco/restaurante, o coração do universo e da alma, conversando com todo mundo, entretendo a clientela, fazendo uma média, vendendo os produtos e em um emprego descoladão. Ainda tem o potencial de se tornar amigo do povo que vai no bar, expandir o seu leque de contatos, convive com aquele doce e gostoso aroma de fritura, além de poder tomar uma que outra no meio do expediente, sem ninguém reparar. Se o bar/restaurante ainda oferece uma boa música ao vivo, você curte um som bacana todo dia de trabalho. Que conforto, eim?

6 – Gari

Talvez este seja o mais cansativo, mas também é legal. Pros manolos que gostam de passar o dia fazendo exercícios, este é um emprego interessante. A ideia, aliás, é justamente esta. A grande emoção deste emprego em específico esta no fato de você poder se exercitar trabalhando. Não só isso, como no caso dos garis do expediente da manhã, dependendo do ponto que você trabalha, ainda tem a possibilidade de fazer novas amizades e dar uma voltinha pela cidade.

7 – Ambulante alimentício

Deixo claro o fato de ser ambulante alimentício, porque o trabalho dos outros ambulantes deve ser bem estressante e complicado. Mas, voltando ao tópico, o trabalho de ambulante alimentício deve ser deveras bacana, assim como os outros, principalmente pela liberdade que o abrange.

O cara fica ali, perto de grandes centros, eventos ou praia, circulando os transeuntes, puxando papo, conversando, fazendo amizades…e ganhando dinheiro! Creio que este seja o trabalho mais “intelectualizado” da lista, de forma que o vendedor ainda participa de uma transação comercial, mas mesmo assim, não deixa de ser braçal. Há também aqueles vendedores de praia, verdadeiros mitos, que fazem musiquinhas, dancinhas e afins para vender as coisas mais banais, como água e cerveja.

Bom, galeris.

Por hoje é só. Sigo com mais na sequência!

Anúncios

4 pensamentos sobre “7 empregos braçais que todos queríamos ter

    1. Para com isso,deve ser algum playboizinho q nunca pegou no pesado,falando so teoria quero ver na pratica se ele vai falar q é bom!!!
      Digno e gratificante é mesmo todos esses serviços descritos acima,mas cansativo é pois eu posso falar!!!

  1. Comentários bestas!!! Quando se trata das pessoas que trabalham e gostam da profissão é válido, mas vindo apenas de alguém com achismos, pára!!! Só querendo se aparecer.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s